imagem de um surfista na praia no por do sol: Talentos brasileiros

Talentos brasileiros: 5 jovens e poderosos

Talentos brasileiros: Empreendedores da nova geração

O povo brasileiro é criativo por excelência. E para comprovarmos isto não é preciso ir muito longe: basta olharmos para os talentos musicais, os esportistas, os cientistas e, claro, os empreendedores. Por mais parodoxal que possa parecer à primeira vista, mesmo no ramo dos negócios é necessário criatividade para se alcançar o sucesso.

Assim, vamos listar cinco brasileiros de talento, que com muita criatividade, motivação e trabalho duro, hoje estão no ápice de suas carreiras.

Talentos br: Foto do empreendedor Flávio Augusto

 Talentos br: Foto do empresário Alexandre Accioly Talentos br: Foto de Robison Shiba da China im Box Talentos br: Foto de Marco Gomes Talentos br: Foto de Gabriel Benarrós

Flávio Augusto da Silva

Nascido e criado na periferia da capital fluminense, hoje Flávio é um jovem empreendedor de sucesso. Como casou-se muito novo, aos 20 anos, precisava de um emprego para sustentar a esposa. Assim, foi trabalhar como representante comercial em uma escola de inglês, em 1992.

Como logo viu as oportunidades que aquele nicho de mercado tinha a oferecer, em 1995, com apenas 23 anos, fundou a escola de idiomas Wise Up, com um capital de apenas 20 mil. Com menos de 2 décadas de história, já rico, vendeu sua empresa para o Grupo Abril Educação, por R$ 877 milhões.

No final de 2015, o fundador da empresa, recomprou por R$ 398 milhões, menos da metade do preço pago pelo grupo Abril dois anos antes.

Flávio logo começou a investir na internet e lançou ao mesmo tempo o blog “Geração de Valor” e o seu canal no Youtube sobre motivação e empreendedorismo.

Junto vieram os livros best-sellers “Geração de Valor” e hoje investe seu tempo e dinheiro no futebol nos Estados Unidos, que vem crescendo como negócio rapidamente. Adquiriu o time Orlando City Soccer Club, onde joga o Kaká, uma contratação do próprio Flávio Augusto.

Ele pretende ainda construir um estádio de futebol na Flórida e abrir 800 escolas de futebol no Brasil e nos EUA.

Alexandre Accioly

Também do Rio de Janeiro, a história de empreendedorismo de Accioly começa com um grupo de amigos engraxando sapatos em uma praça do Leblon, bairro nobre do Rio de Janeiro.

Depois abriu com uma agência de figurantes para tv que trabalhava principalmente para Rede Globo. Logo em seguida montou um jornal de classificados de automóveis, mas logo veio o Plano Collor que deixou todo mundo com R$ 50 na carteira, ninguém comprava mais carro, foi o fim do jornal.

Restaram só as dívidas e seis linhas telefônicas e foi com esses de telefones que Alexandre começou a vender assinaturas de revistas para editora Abril, que mais tarde Accioly se tornaria na poderosa Quatro A, empresa de telemarketing com 9 mil funcionários, que foi comprada por US$ 170 milhões pela Atento, empresa ligada à Telefônica.

Daí para cá foram inúmeras conquistas, sendo a mais significativa delas a rede de academia Body Tech, voltada às classes A e B. Além disso, também atua no ramo da gastronomia e hotelaria, sendo sócio de três restaurantes junto a Rogério Fasano no Rio, e no ramo da comunicação com as rádios Sul América Paradiso e a Mix.

Robinson Shiba

Paranaense de nascença; foi em uma viagem para os EUA que Shiba teve a ideia que iria mudar o rumo de sua vida. Lá trabalhou em restaurantes e como entregador, e foi aí que percebeu que a comida chinesa era pouco explorada no Brasil.

Em 1992, quatro anos após regressar ao Brasil, Shiba abriu a primeira loja da rede em Moema, São Paulo. Em pouco tempo, houve vários convites para transformar a loja em franquia e, em pouco mais de 20 anos de atuação, já existem mais de 150 lojas do China In Box espalhadas pelo Brasil.

Mais tarde, o dentista Robinson, tornou-se sócio também de um restaurante japonês, o Gendai, que também passou a abrir unidades em vários estados brasileiros, é proprietário também do restaurante Owan, especializado em comida oriental (chinesa, japonesa e tailandesa), e dos restaurantes Brevitá de culinária italiana, que usa um sistema de embalagens plásticas reutilizáveis, que podem ser levadas do freezer direto para o forno de micro-ondas.

Vinte e seis anos depois de lavar pratos e entregar pizzas nos Estados Unidos, Shiba tornou-se dono da maior rede de fast food chinês atuante na América Latina, possuindo 160 lojas franqueadas, com uma marca presente em mais de 70 cidades brasileiras, distribuídas em 22 estados.

Marco Gomes

De origem muito pobre, foi graças a seus tios sacoleiros que Marco tornou-se um empreendedor de sucesso. Das viagens do Paraguai, seus tios traziam muitas peças de computadores, que despertaram a curiosidade do então menino.

Não demorou muito para que Marco aprendesse a montar computadores e a programar (com apenas 12 anos). Depois de três anos cursando ciências da computação, Marco conseguiu um estágio em uma agência de publicidade, semente da Boo-Box, empresa que produz tecnologia de reconhecimento de perfis e padrões de consumo, produção e compartilhamento de conteúdo relevante.

É a única empresa brasileira a receber investimento da Intel Capital e, em 2012, foi considerada como uma das cinco mais inovadoras empresas de publicidade pela revista norte-americana Fast Company. Pelo pioneirismo merece destaque.

Em outubro de 2015 Gomes anuncia a venda da boo-box a FTPI Digital, companhia que comercializa mídia em sites verticais, como Spotify, Jovem Nerd, Catraca Livre, Sensacionalista e Brainstorm9.

Após largar a Boo-Box Marcos apontou suas armas para a área de saúde e fitness e criou o aplicativo “Mova Mais”.

Observando que as maiorias das pessoas desistiam de fazer exercícios físicos porque os benefícios demoravam a chegar, elas no fundo, precisavam de benefícios imediatos. O aplicativo “Mova Mais” traz esse conceito de incentivar a prática de exercícios através da troca por pontos de milhas para viajar e outros prêmios incentivando a prática regular de exercícios físicos.

Queria registrar aqui que a participação do empreendedor Flávio Augusto que é o único investidor do aplicativo “Mova Mais”.

Gabriel Benarrós

Amazonense de nascença, Gabriel foi estudar economia comportamental em Standford, EUA, através de uma bolsa de estudo dada pela Fundação Estudar fundada pelo pessoal da Ambev, Jorge Paulo Lemann, Marcel Telles e Beto Sicupira.

Lá, Gabriel teve a ideia de criar um negócio para venda de ingressos online. Com o conhecimento adquirido e com o financiamento do projeto por um de seus professores, retornou ao Brasil em 2012 para testar a validade do modelo de negócio em sua terra natal, Manaus.

Chamado de Ingresse, em seus oitos primeiros meses de funcionamento a empresa faturou R$ 2,3 milhões. Hoje, a empresa tem alcance nacional e pertence à incubadora 500 Startups, de Dave McClure. Confira a palestra que o Gabriel realizou como convidado do TED.

Todos me parecem que tem algo em comum, Eles, jovens ainda, colocaram suas ideias e seus desejos em prática e mantiveram o foco. Que tal você colocar suas ideias em prática. Ou você ainda tem alguma dúvida se deve seguir seu senso empreendedor?

Talentos brasileiros: 5 jovens e poderosos
Avalie esse artigo

Mauricio Alex, radialista, acredita que só através da motivação pessoal conseguimos superar as armadilhas de nossas mentes. É preciso transformar as nossas crenças e nossos pensamentos em aliados para alcançarmos progresso profissional, espiritual e financeiro.