Ele, Abílio Diniz!

Ele, Abílio Diniz!

No seu livro caminhos e escolhas Abílio Diniz fala sobre as mudanças sofrida por ele depois de três tristes episódios que ocorreram em sua vida numa mesma época: a briga de família com seus irmãos, a grave crise do Pão de Açucar e o seu sequestro. Esses episódios mostraram a Diniz como a adversidade é fundamental na decisão de mudar crenças mentais e valores.

Abílio era considerado um cara arrogante e prepotente acima do bem e do mal por várias pessoas que orbitavam à sua volta, ao ponto de achar que nada de mal lhe aconteceria e que ele estaria pronto para defender a sua própria vida, enquanto seus familiares tinham que andar com seguranças, ele com sua autossuficiência dispensava o aparato.

Ele, Abílio Diniz!

Deus, ao permitir que esses fatos ocorressem, deu-me forças e mostrou-me o caminho para que eu os vencesse. Acredito nisso de forma racional e emocional. É uma crença que vem da alma.”

Apesar de ser uma pessoa bem sucedida, o caminho foi cheio de dificuldades, e precisou de muita determinação e disciplina para alcançar seus objetivos. Esses eventos trouxe lições e mudanças para melhor em sua vida. 

“Tenho certeza de que o crescimento do ser humano é muito maior no sofrimento do que na felicidade.” 

A briga familiar pelo supermercado começou nos anos 80 e só terminou em 1994 com um acordo assinado em que Abílio Diniz adquiriu o controle da companhia. O período mais crítico aconteceu entre o ano do sequestro que ocorreu em 1989 e o ano de 1990 quando o Pão de Açucar agonizava. 

“A dor e a tristeza foram enormes. Ao mexer muito com toda minha estrutura emocional e surgiu vontade de buscar novos caminhos, a maior descoberta foi que a virtude está do outro lado, na bondade, humildade e tolerânca, e não na força, na arrogância e na prepotência.”

 Para Diniz que teve que reconstruir o Pão de Açucar com todas as dificuldades que está situação acarreta, lembra que o sucesso é embriagante e que não podemos jamais perder a humildade. As mudanças que queremos realizar depende de nossas atitudes, precisamos cuidar da saúde e o do nosso bem estar, e buscar o autoconhecimento. É muito importante administrar o tempo e estabelecer prioridades nesse processo de renovação pessoal. 

“A primeira sensação foi raiva… A frustação veio em seguida… O fato é que havia sido sequestrado. Você pode imaginar o quanto uma experiência como essa é traumática na vida de um ser humano… Ninguém sai de uma situação tensa e perigosa como essa da mesma maneira que entrou… Eu tinha certeza de que iria morrer, só não sabia como.”

Aquele momento foi o início da minha mudança que acabaria transformando Abílio num homem mais tranquilo e humilde e passou a priorizar em sua agenda compromissos que lhe davam prazer. Com organização e disciplina, e com vontade de ser uma pessoa melhor até nos simples gestos, como estender a mão e cumprimentar seus funcionários.

Abílio reergueu o Pão de Açucar a um novo patamar e o levou a liderança do setor, sua dedicação e seu empenho era total. Almejando novos vôos se associou ao grupo francês Cassino que no final da sociedade acabou por adquirir o controle da Companhia Brasileira de Distribuição, que inclui as bandeiras de Varejo Alimentar, Pão de Açúcar e Extra, de Atacarejo, Assaí e de Eletro, Ponto Frio (Globex). Também foi sócio majoritário das Casas Bahia, através da sua controlada Globex S/A, esse grande conglomerado começou lá trás com seu pai numa pequena doceria.

Bom de briga, Diniz encontrou aos 76 anos força para superar a perda da Companhia Brasileira de Distribuição e encarar o desafio de ser o novo Presidente do Conselho de administração da BRF, aos poucos foi se desfazendo das ações do Pão de Açucar e comprando papéis da BRF, conseguindo relevância entre os acionistas, abrindo definitivamente as portas para comandar esse gigante do setor de alimentos. A BRF é mais conhecida pelas suas marcas Sadia e Perdigão.

Agora uma pequena história que aconteceu comigo quando resolvi ser “sócio” de Abílio Diniz.

Foi em 2009 quando o Pão de Açucar comprou o Ponto Frio por mais de 800 milhões de reais, pagando um pouco mais de 5 reais por ação, cotação da ação na Bolsa de Valores, a ação era chamada pelo código “GLOB3”. Alguns amigos meus acompanharam essa história.

A ação do Ponto Frio que já custara no passado mais de 40 reais não tinha liquidez, era pouco negociada na bolsa e a empresa apresentava grandes problemas, mas ao longo de alguns dias a ação subiu para 6 reais mais ou menos.

Já tive vários sócios na vida, com e sem problemas, então resolvi ser “sócio” do empresário Abilio Diniz e comprar também algumas ações do Ponto Frio, as tais GLOB3, como a oferta dessa ação era pouca demorei quase uma semana para fazer uma pequena posição nesse ativo, e o tempo foi passando.

Alguns amigos do mercado já me olhavam meio de lado, até que alguns meses depois, nessa época eu acompanhava o mercado diariamente através dos gráficos, reparei que o número de negócios com a GLOB3 disparou, o valor dela foi subindo, primeiro para 8 reais, depois para 12, depois 14, fiquei até na dúvida se vendia ou esperava o dia seguinte pra vender no início do pregão, porque achava que ainda ia dar uma boa puxada.

E lá foi a GLOB3 para mais de 24 reais, o meu “sócio” Abílio tinha acabado de comprar as Casas Bahia, foi a minha primeira sensação de vitória na bolsa. Depois tentei repetir a dose com a BRF, quando ele comprou as ações da empresa por volta de 38 reais, preço de negociação na bolsa de valores no dia em que eu soube que ele tava comprado, marquei logo no gráfico o preço, pois não tinha dinheiro naquele momento para comprar e quando  o dinheiro apareceu, a ação já estava valendo mais de 48 reais, hoje as ações da BRFS3 estão sendo cotadas a 58 reais.

Abílio Diniz é um bom sócio, azar dos franceses do Cassino. Hoje em dia acompanho a AMBEV, já que o bilionário americano Warren Buffett, o terceiro homem mais rico do mundo, quis virar sócio do Jorge Paulo Lemann, quem sou eu para não imitá-lo. 

Conclusão

“Existe uma versão de que há uma grande alegria na indisciplina. Muitos acreditam na visão romântica, quase adolescente, de que a felicidades está na indisciplina, na liberdade a todo custo, na falta geral de compromisso. Essa idéia, claro é tentadora.

É preciso perceber que, com disciplina, conseguimos realmente fazer o que é importante para nós, sem nos deixar vagar livremente, incorrendo em inúmeras horas perdidas em desejos que nunca se concretizam. Ter qualidade de vida exige uma tomada de decisão.”

Abílio é um colecionador de frases, inclusive no seu web site “Abílio Diniz” existe uma seção na barra lateral, onde passa várias frases motivacionais, escolhi para terminar esse texto uma frase de Jeffrey Gitomer, empresário americano motivador de vendas:

Os obstáculos não podem te deter. Os problemas não podem te deter. Mais que tudo, outras pessoas não podem te deter. Somente você pode deter a si mesmo.

Ele, Abílio Diniz!
Avalie esse artigo

Mauricio Alex, radialista, acredita que só através da motivação pessoal conseguimos superar as armadilhas de nossas mentes. É preciso transformar as nossas crenças e nossos pensamentos em aliados para alcançarmos progresso profissional, espiritual e financeiro.